Saúde > Primeiros Socorros Asfixia

Primeiros Socorros em Caso de Asfixia


O conhecimento em técnicas de Primeiros Socorros é essencial para qualquer pessoa. Infelizmente aqui no Brasil, não temos a iniciativa de todos conhecerem o básico para prestar um socorro podendo salvar até uma vida, principalmente se for um caso de asfixia. Como é bem comum a ocorrência dessa emergência seja por engasgo, afogamento ou até alguma paralisia respiratória, vamos aqui, orientar de uma forma rápida e básica, os principais conceitos sobre como prestar Primeiros Socorros em caso de asfixia.

A asfixia se dá por dificuldade ou parada na respiração. As causas podem variar e ocorrendo em casos de choque elétrico, falta de oxigênio, obstrução da boca, garganta ou nariz, afogamento, sufocamento causado por corpo estranho e envenenamento.



A falta de socorro imediato pode levar a parada total da respiração e a morte. Nesses casos, os Primeiros Socorros devem ser feito da seguinte forma:

- Primeiro deve-se identificar a causa da asfixia. Os casos mais comuns são de asfixia por afogamento e por obstrução das vias aéreas por algum corpo estranho, portanto iremos nos basear nesses dois casos.

- Antes de tudo, ligue para o 193 de qualquer telefone e solicite um socorro imediato. Mesmo que você tenha conhecimentos básicos, os profissionais possuem toda uma aparelhagem disponível para normalizar a situação.

- Em caso de asfixia por afogamento ou falta de ar sem obstrução de corpos estranho, primeiramente realize o procedimento para respiração artificial ou respiração boca a boca.



O pescoço do acidentado deve ser erguido levemente e flexionado para trás. Com a ajuda dos polegares, abra a boca do acidentado e aperte as narinas do mesmo. Coloque a boca sobre a boca do acidentado e sopre com força o suficiente para expandir o peito da vitima. Quando perceber o movimento afaste a boca para permitir que o ar volte. Repita o procedimento a quantidade de vezes que achar necessário.

Esse procedimento é bem simples, mas deve ter alguns cuidados. Por exemplo, em casos de asfixia por envenenamento, não executar a respiração boca a boca para não correr o risco de também sofrer o mesmo acidente. Em casos de ferimentos na boca, realizar a respiração da mesma forma só que pelo nariz.