saúde > Herpes labial

Herpes Labial



O herpes é uma doença causada por um vírus (Herpes simplex vírus tipo 1 e tipo 2) que ataca a região dos lábios e muitas vezes também a região genital. É comumente conhecida como uma infecção recorrente que não tem cura. A infecção manifesta-se por um período, depois costuma desaparecer e ficar inativa por algum tempo até voltar a manifestar-se. Uma parte da população, apesar de ter tido contato com o vírus do herpes, nunca chega a desenvolver sintomas da doença.

Transmissão Herpes

O herpes labial (ou herpes oral) é transmitido, principalmente, através do beijo e, por isso mesmo, a melhor forma de prevenção é a seleção dos parceiros. Já o herpes genital é transmitido através de relações sexuais e a camisinha não é totalmente eficaz contra a transmissão da doença, pois partes expostas da pele podem propiciar o contágio. Estudos mostram que a camisinha ajuda a evitar a transmissão, mas não a impede completamente. De qualquer forma, o uso da camisinha é benéfico pois impede a transmissão de outras DST. Compartilhar utensílios domésticos com pessoas infectadas também pode ser suficiente para transmitir o vírus.

Devido a essa grande facilidade de transmissão do vírus, estima-se que até noventa por cento da população mundial já tenha sido contaminada pelo Herpes Labial e que mais de vinte por cento dos adultos sejam portadores do herpes genital.



Sintomas Herpes

O herpes labial causa vermelhidão e pequenas bolhas nos lábios e no contorno da boca. Após algum tempo as bolhas estouram e formam pequenas feridas na região. Apesar das lesões serem mais comuns na boca, a infecção pelo HSV-1 pode gerar lesões em qualquer lugar da pele. Já o tipo HSV-2 causa feridas normalmente na região genital. As bolhas e feridas causadas pelo vírus da herpes duram em média de sete a dez dias e depois disso desaparecem. Mesmo depois do desaparecimento, o vírus continua incubado no organismo e pode gerar novas feridas no futuro.

Tratamento Herpes

O herpes não tem cura. Uma vez contaminado, o vírus atacará recorrentemente em surtos. Muitos pacientes tem diversos surtos por ano, enquanto outros experimentam longos períodos sem feridas na boca.

Apesar de não poder ser curado, existem medicamentos e posturas que podem ser adotadas para minimizar os desconfortos. Existem diversos cremes, principalmente a base de sulfato de zinco, que podem ser aplicados sobre as lesões que ajudam a acelerar seu desaparecimento. O ideal é aplicar o creme logo nos primeiros sintomas (vermelhidão, coceira e dor) e antes do aparecimento das bolhas. Também é comum utilizar pomadas anestésicas em caso de dor muito forte. Consulte um médico para encontrar o melhor tratamento para o seu caso.

Aplicar gelo ou compressas frias sobre as feridas ajuda a diminuir a dor e a evitar a proliferação do vírus. Também é importante utilizar protetor solar nos lábios e sobre as feridas na fase aguda.



Imunidade e o Herpes

O sistema imunológico desempenha um papel importante no controle das infecções e na manifestação do herpes. Sabe-se que os sintomas da doença aparecem em pessoas que estão com a imunidade baixa. Por isso, é essencial que os portadores do vírus cuidem sempre da sua imunidade para evitar que as lesões surjam. Também é sabido que um sistema imunológico fortalecido pode impedir, ou ao menos dificultar, a contaminação.

Cuide da sua saúde e das suas defesas para se proteger do vírus. Para isso, tenha uma alimentação saudável e balanceada, pratique exercícios físicos regularmente, evite o uso excessivo de bebidas alcoólicas, fique longe do cigarro e evite exposição solar prolongada. O estresse também é um forte desencadeador do herpes em pessoas que já foram infectadas pelo vírus. Alguns alimentos naturais como o alho, a sardinha e o cogumelo shitake ajudam no fortalecimento do seu sistema imunológico e no combate do vírus. Evite também alimentos gordurosos, pois estes diminuem as defesas do seu corpo.