saúde > Fitoterapia

Fitoterapia

Os povos primitivos, segundo os registros históricos, já utilizavam plantas medicinais no tratamento e prevenção de diversos problemas de saúde. Possivelmente, o uso de plantas medicinais é tão antigo quanto à própria humanidade. A nomenclatura fitoterapia vem do grego e quer dizer tratamento (therapeia) vegetal (phyton), ou ainda "A terapêutica das doenças através das plantas".

O nome da ciência que estuda as plantas medicinais e seus benefícios é a fitoterapia e esta faz parte da medicina tradicional chinesa e o tratamento consiste na utilização de plantas medicinais individuais ou compostas em fórmula e tem efeito sobre o físico e a mente do paciente.



O tratamento através de plantas medicinais é uma alternativa natural aos medicamentos químicos, e podem ser utilizados no combate aos mais variados problemas de saúde como, por exemplo: inflamações, problemas gastrointestinais, sistema respiratório, stress, fadiga, cicatrizante, ansiedade entre outras aplicações.

Com relação à Organização Mundial de Saúde, 80% da população já usou alguma forma de medicina alternativa ou complementar. No mundo, o setor de fitoterápicos movimenta 21,7 bilhões de dólares por ano, segundo dados da Federação Brasileira da Indústria Farmacêutica. Aqui no Brasil, há 450 medicamentos fitoterápicos registrados que derivam de 160 espécies diferentes de plantas.

A correta utilização da fitoterapia pode proporcionar diversos benefícios como: diminuição de efeitos colaterais, diminuição de reações adversas ao tratamento entre outros benefícios. Quando a fitoterapia é corretamente aplicada, e acompanhada por um especialista qualificado e credenciado, apresenta rápidos resultados.



O uso das plantas como remédio é provavelmente tão antigo quanto à própria humanidade. No entanto, é preciso ter cautela. A crença popular de que as plantas não fazem mal, estimulada ainda mais por fortes apelos de marketing, faz com que o quadro fique um tanto distorcido.

Atenção para não confundir fitoterapia e homeopatia. São terapêuticas diferenciadas que podem ou não se somar de acordo com a indicação médica. Na fitoterapia a medicação encontra-se na forma bruta, utilizamos as folhas, as raízes ou as flores das plantas para dispensação na forma de pó, extrato ou tintura. Na homeopatia a medicação encontra-se na forma diluída e dinamizada e ela provém da natureza como um todo, não apenas das plantas.

Todo medicamento, inclusive os fitoterápicos, deve ser usado segundo orientação médica. Mas há ainda muitas plantas cujos efeitos não são bem conhecidos e seu uso indiscriminado pode prejudicar a saúde.