Música > Biografias > Cazuza

Cazuza



Há diversos cantores que marcam história, inclusive diversos desses estão no Brasil, conseguindo atingir uma fama extraordinária e sendo lembrados até os dias atuais, principalmente quando estes realizaram atos que nunca antes foram vistos no mundo musical, assim como a criação e propagação de novos estilos e ritmos, inovação nas letras e até mesmo alguns casos de rebeldias e acusações que eram feitas em canções.

Cazuza é um destes grandes nomes da música brasileira, sendo que o mesmo foi adorado por muitas pessoas e segue, até hoje, conquistando fãs de diversas gerações com as músicas que ainda estão presentes em mídias e meios de comunicação, conseguindo espalhar-se por todo o mundo.

O cantor nasceu em 1958, sendo que este foi um dos maiores artistas de toda a cena pop-rock que foi realizada no Brasil na década de 90, sendo um dos ídolos e destaque em muitos estabelecimentos e locais, atingindo um público admirador extraordinário.



Agenor de Miranda Araújo Neto é o verdadeiro nome de Cazuza, sendo que o mesmo viveu grande parte de sua vida no Rio de Janeiro, exatamente em Ipanema, sendo privilegiado por ser filho de um dos donos e responsáveis pela gravadora Som Livre, uma das maiores empresas no meio musical.

O apelido tornou-se Cazuza devido a algumas denominações que eram realizadas com este nome, significando “moleque” nas gírias que eram ditas no nordeste, afinal seu pai era pernambucano e, assim, Agenor acabou convivendo com algumas manias vindas do local.

Cazuza começou no meio musical na década de 80, sendo que o mesmo iniciou sua fama ao participar do Barão Vermelho, sendo o vocalista do grupo, conseguindo gravar diversas músicas e canções que ganharam grande destaque na música brasileira.



Já em 1985, Cazuza já estava vivendo seu momento em carreira solo, porém o mesmo acabou descobrindo uma doença que modificou totalmente sua vida: o artista possuía AIDS, diagnosticada no mesmo ano em que o cantor havia decidido formar sua própria trajetória no mundo musical.

Foi necessário viajar até os EUA para que fosse possível combater a doença com alguns tratamentos que eram oferecidos por especialistas do exterior, preparando sua viagem em 1987 e partindo no mesmo ano.

Mesmo com AIDS, o cantor ainda lançou uma das músicas mais famosas conhecida como “Ideologia” em 1988 e gravou seu último CD em 1989, falecendo em 1990, no Rio de Janeiro, com somente 32 anos.