Atlas > Astronomia > Planeta Saturno

Saturno possui esse nome devido ao deus romano Saturno e é tido como o sexto planeta do Sistema Solar e o segundo maior planeta após Júpiter. Seu aspecto mais característico é seu brilhante sistema de anéis, o único visível da Terra.

O primeiro a observar o planeta foi Galileu em 1610, porém devido à baixa inclinação de seus anéis e à baixa resolução de seu telescópio lhe fizeram pensar a princípio que se tratava de grandes luas. Já em 1659, Christiaan Huygens pode observar em seu telescópio o planeta e também os anéis. No entanto, em 1859 James Clerk Maxwell demonstrou matematicamente que os anéis não poderiam ser um único objeto sólido, sendo que deveriam ser um agrupamento de milhões de partículas de menor tamanho.

Com relação as suas características, Saturno é um planeta achatado e em seus pólos forma a figura de uma esfera oval, seus diâmetros são: equatorial 120 536 km e polar 108 728 km. O planeta possui uma densidade específica de 690 kg/m³ sendo o único planeta do Sistema Solar com uma densidade inferior a da água (1000 kg/m³) e é formado por 90% de hidrogênio e 5% de hélio. O volume do planeta é suficiente para conter 740 vezes a Terra, porém sua massa é apenas 95 vezes a terrestre.

O interior do planeta é formado por materiais gelados durante sua formação ou que se encontra em estado líquido nas condições de pressão e temperatura próximas ao núcleo, neste pode-se encontrar temperaturas em torno a 12.000 K (aproximadamente o dobro da temperatura na superfície do Sol). A maior parte desta energia é produzida por uma lenta contração do planeta que libera a energia gravitacional produzida durante a compressão, e o mecanismo se denomina Kelvin-Helmholtz.

Com relação ao campo magnético de Saturno, sua magnetosfera consiste em um conjunto de cinturões de radiação que se estendem por aproximadamente dois milhões de quilômetros do centro de Saturno, principalmente, no sentido oposto do Sol, já o vento solar, os satélites e o anel de Saturno fornecem as partículas elétricas para o cinturão. Contudo a magnetosfera interage com a ionosfera, a camada superior da atmosfera de Saturno, causando emissões de auroras de radiação ultravioleta.

Já com relação a sua órbita, Saturno gira em torno do Sol em uma distância media de 1.418 milhões de quilômetros em uma órbita de excentricidade 0.056, com um afélio a 1.500 milhões quilômetros e o perélio a 1.240 milhões quilômetros e o período da rotação em torno do sol completa a cada 29 anos e 167 dias.

Os anéis de Saturno são constituídos essencialmente por uma mistura de gelo, poeiras e material rochoso, eles se estendem a cerca de 280 mil quilômetros de diâmetro e não ultrapassam 1,5 km de espessura. Alguns cientistas acreditam que os anéis se formaram a partir de uma colisão que ocorreu perto do planeta ou com o planeta. Com relação aos Satélites, Saturno possui um grande número, mais até que os demais planetas. Os seus maiores satélites, conhecidos antes do começo da exploração espacial, são: Mimas, Encélado, Tétis, Dione, Reia, Titã, Hipérion, Jápeto e Febe.

Atlas Ilustrado

Mande esta página para alguém:

Seu Nome:
Seu E-mail:
E-mail de Destino: