Atlas > Astronomia > Planeta Júpiter

Júpiter é o quinto planeta do sistema solar a partir do Sol, e também é considerado o maior deles, tanto no quesito de diâmetro quanto em relação à massa. O planeta é observável a olho nu e é o quarto corpo mais brilhante no céu, depois do Sol, da Lua e de Vênus. O nome do planeta foi batizado como Júpiter devido a um deus da mitologia romana, sendo o mesmo associado muitas vezes as crenças mitológicas e religiosas de várias culturas.

Com relação à composição, a atmosfera de Júpiter é composta de 88% a 92% de hidrogênio e 8% a 12% de hélio, referentes à percentagem de volume ou fração de moléculas. Já o interior do planeta contém materiais mais densos, mudando a distribuição por massa para 71% hidrogênio, 24% hélio e 5% outros elementos. A parte externa da atmosfera contém cristais de amônia congelada.

A estrutura interna do planeta é composta por um núcleo denso, circundado em hidrogênio metálico, hélio e uma camada exterior composta primariamente de hidrogênio molecular. Com relação ao núcleo, há dúvidas sobre a composição do mesmo dado que algumas vezes há descrição de que o núcleo possui uma formação rochosa, mas sua composição em detalhes é desconhecida, bem como as propriedades destes materiais na temperatura e pressão destas profundidades.

A temperatura e a pressão aumentam com a profundidade, pois na região da fase de transição, no qual hidrogênio líquido (aquecido) torna-se metálico, acredita-se que a temperatura seja de 10 000 K, e a pressão, de 200 GPa.

Júpiter é coberto por nuvens compostas de cristais de amônia e possivelmente hidrosulfeto de amônia. As nuvens estão localizadas na tropopausa, e estão organizadas em bandas de diferentes latitudes, conhecidas como regiões tropicais. Estas estão subdivididas em "faixas" de cor clara, e "cinturões" de cor escura.

A camada de nuvens possui apenas 50 km de profundidade e consiste em duas partes: uma camada grossa inferior e uma camada mais fina. As nuvens de Júpiter possuem cores de tom laranja e marrom, na qual decorre devido a elementos que mudam de cor quando expostos aos raios ultravioletas do Sol.

Uma das características mais marcantes de Júpiter é a grande mancha vermelha, isto é, uma tempestade anticiclônica localizada ao sul do equador, que, com 24 mil a 40 mil km de extensão, pode abrigar dois ou três planetas com o diâmetro da Terra. A mancha vermelha possui um formato oval e gira em torno de si mesma, sentido anti-horário, com um período de seis dias.

Júpiter possui 63 satélites naturais confirmados e deste total, 47 satélites possuem menos de 10 km de diâmetro e foram descobertos a partir de 1975. Os maiores satélites são: Lo, Europa, Ganimedes e Calisto.

Atlas Ilustrado

Mande esta página para alguém:

Seu Nome:
Seu E-mail:
E-mail de Destino: