Atlas > Astronomia > Estrelas

Atualmente a astronomia está cada vez mais destacando-se quando trata-se de objeto de estudo, pois a mesma consegue abranger um campo muito grande e curioso, fazendo com que muitas pessoas interessem-se por esta área, principalmente quando trata-se das estrelas, um dos itens mais estudados por grandes profissionais da área, para que estes descubram curiosidades e características próprias das mesmas, visualizando suas funções e o motivo de sua existência, assim como origem e até mesmo localizações.

As estrelas são designadas como esferas de plasma brilhantes e luminosas, que só é capaz de localizar-se no céu, do nosso ponto de vista, devido a gravidade existente. A mesma, como poucos sabem, também possui uma vida útil e, no final da mesma, as estrelas podem apresentar uma substância considerada como matéria degenerada.



A maior estrela existente é o Sol, a mais próxima da Terra, que possibilita que a população usufrua de sua energia, com alguns equipamentos específicos e criados para este fim, fazendo com que a mesma seja essencial na vida de todos os habitantes do planeta. Como o Sol é a maior estrela, a mesma ofusca o restante das menores, que são os tradicionais pontos brilhantes no céu, que só aparecem a noite, momento em que a estrela maior desaparece.

O brilho das estrelas ocorre devido a uma característica que ocorre em grande parte de sua vida útil, recebendo o nome de fusão nuclear, onde algumas substâncias acabam misturando-se e sendo liberadas para formar a popular luminosidade que é possível visualizar em algumas noites, dependendo do fenômeno atmosférico que, muitas vezes, acaba por encobrir o céu em algumas regiões.



A formação da estrela da-se devido à colisão entre uma nuvem com substâncias específicas contidas na mesma juntamente com alguns elementos pouco mais pesados, gerando estas esferas tradicionais, porém ambas apresentam não somente uma cor prateada ou branca e, sim, algumas podem vir a aparecerem no céu pouco avermelhadas, fato causado devido a presença de massa do Sol na mesma, fazendo com que estas, além de sua tonalidade, tornem-se ainda maiores, devido as substâncias que são pouco mais densas que as citadas anteriormente.

Existem, também, os sistemas binários, que podem ser conhecidos como multiestelares, pois os mesmos apresentam uma junção de estrelas que estão ligadas e movimentam-se da mesma forma, porém, quando as estrelas estão muito próximas, pode até mesmo ocorrer um choque entre as mesmas, causando um impacto em sua vida útil e evolução.

Atlas Ilustrado

Mande esta página para alguém:

Seu Nome:
Seu E-mail:
E-mail de Destino: