Astrologia > Bruxas Wicca

Bruxas Wicca


Para uns, só bruxaria, feitiçaria, mágicas e rituais. Para os Wiccans, uma religião. O nome foi adquirido nos anos 60 e possui diversas tradições. O significado da palavra é uma junção dos seus sentidos de acordo com suas raízes germânica e britânica arcaica: girar, moldar e saber. A ideia é entende-la como a sabedoria de girar e moldar a natureza em nosso favor.

É considerada pagã, por não ter os ensinamentos de Cristo como influência principal e não crerem em um Deus único. Foi marginalizada pela Igreja Católica e vítima da Inquisição. Alguns a chamam de politeísta, enquanto outros falam que a multiplicidade de deuses é uma forma de personificar cada parte do todo, de uma Força maior.

A origem da bruxaria moderna, a Wicca, vem da Europa Ocidental, na região da Inglaterra, País de Gales, Irlanda, no início do século XX. Foi popularizada por Gerald Gardner, que lançou o primeiro livro sobre bruxaria e suas crenças, práticas e rituais depois da perseguição católica.



Crenças Wicca
Independente das tradições, a religião compartilha de características comuns. O culto serve a dois deuses: a Mãe Tríplice, que representa a Lua e a Terra e o Deus Cornífero, representante do Sol e dos animais. A deusa caracteriza-se pela feminilidade, fecundidade e criação. O deus é o símbolo da virilidade.

Não acreditam no Diabo, nem no céu nem no inferno. Cultuam a natureza e cada ciclo da vida. Acontecem 21 rituais durante o ano se dividem em festivais sazonais, os Sabbats e os Esbats.

Os primeiros são assembleias secretas de bruxos sobre as histórias de suas divindades, realizadas aos sábados, a cada mudança de estação do ano. O objetivo é celebrar o nascimento, a morte e o renascimento para equilibrar energias e cultuar a Deusa. Já os segundos, são comemorações a cada fase da lua.

Instrumento como vassoura, cálices, caldeirões são utilizados durante as reuniões, feitas sempre dentro de um círculo. O pentagrama é o mais conhecido de seus símbolos. Ele representa os cinco elementos da natureza ligados entre si. Existem outros símbolos menores, como o Tríscele (três pernas conectadas em forma de estrela), a Triquetra (as três faces da Grande Mãe) e as Três lebres.

Acreditam na chamada Grande Teia, em que todos os seres estão ligados entre si, e sofrem como num efeito borboleta, em que cada ação impacta em todos.



Outras Tradições Wicca
A religião Wicca tem várias formas de servir aos deuses. Alexandrina, Gardneriana, Cochranianismo, Feri, Diânica são algumas das vertentes. A mais conhecida, a Gardneriana, consideram a iniciação de um seguidor indispensável. Para seus componentes, o serviço aos deuses precisa ser selado formalmente. Ao ser iniciado, o indivíduo se transforma em um sacerdote wiccan.

Algumas, inclusive, ensinam como se auto iniciarem pregam que ao optar pela religião Wicca, a escolha é para a vida toda. Outras, como a Diânica, não exigem a iniciação para servir aos deuses. Para maiores informações, há vários livros de Gerald Gardner e também sites, como o da Abrawicca (Associação Brasileira de Arte e Filosofia da Religião Wicca).



Origens Wicca
Logo depois do fim das leis contra bruxaria, Gardner escreveu um livro falando especificadamente sobre bruxaria, no ano de 1954, foi lançada a primeira edição da "Bruxaria Hoje" (livro de Gardner sobre as práticas da bruxaria).

Depois de algum tempo, Gardner fundou outro coven, nele foi aplicado as crenças das bruxas que o iniciaram em 1939 e os conhecimentos adquiridos ao longo dos anos por meio dos mistérios que ele vivenciou.

Pra compreender toda a história que levou a criação da religião Wicca é preciso entender e analisar três partes importantes desta história: 1) a sua iniciação. ele conseguiu provar a sua iniciação em um coven (grupo de bruxas, que se unem em um laço mágico, e fazem um juramento de fidelidade à Arte e ao grupo, com o principal objetivo de louvar a Deusa e o Deus) de Witchcraft em New Forest, sua iniciação foi só aceita depois que a existência de sua iniciadora (Dorotthy Clutterbuck) foi comprovada.

2) mistérios as quais ele vivenciou. Uma das principais influencias de Gardner foi Aleister Crowley (cujo o motto era: "Faça o que você quiser, este será toda a Lei"), que conheceu através de Arnold Crowther, em 1946, quando entrou para OTO (Ordo Templi Orientis). Por mais que eles tenham tido pouco tempo de convivencia, Gardner sofreu muita influencia de Crowley, prova disto são notadas em frases regularmente usadas por wiccanos modernos.

3) as influências literárias as quais ele teve acesso, uma das maiores influências que ele sofreu e pode ser observada em seus livros, foi a da Dra. Margareth Murray, que o influenciou com os seus dois livros "O Deus das Feiticeiras" e "O Culto das Bruxas no Oeste Europeu". Um outra pessoa muito importante que o influenciou foi Charles Godfrey Lelland, que publicou "Aradia: O Evangelho das Bruxas" e Robert Graves que publicou o livro "A Deusa Branca".

Essa nova geração de bruxas "Wicca" tenta entender Gerald Gardner e levar a luz às origens da nossa crença. Essa geração "Wicca" talvez tenha sido criada por Gardner como resultado de uma experiência pessoal e planejada via o seu vasto conhecimento sobre a literatura e a magia.